Vamos passear na 14N

Hoje fomos conferir a greve geral que rolou por aqui (estou supondo que vocês sabem da greve que está rolando aqui na Espanha, ou Catalunha para os preciosistas, Itália, Portugal e Grécia). Bom todos falaram disso o dia inteiro no facebook daí do Brasil, imagine daqui.

Acordamos atrasados como sempre e o primeiro ato do dia aconteceria na Plaza Catalunya (grande marco central da cidade) ao meio dia. 12h30 mais ou menos estávamos lá. Estava tudo muito morto, havia alguns grupos sindicalistas, algumas dezenas de turistas perdidos e um monte de pessoas comuns que estavam ali pra curtir a festa da democracia.

Pessoal da CNT meio com sono ao meio dia. Ficavam cantando ” ito, ito, ito – que cae el pajarito” (“inho, inho, inho – que caia o passarinho”) falando de um helicópteo que estava no céu. Não ouvimos nem sequer um “vai tomar no cu”.

As coisas ainda estavam bem devagar e eles já estavam ali de máscara na cara, armados e sem identificação. Sinistro.

ENTENDENDO A GREVE PARTE UM:

Ainda sou leigo no assunto política européia e espero não estar sendo um completo ignorante no que vou dizer, mas vou tentar simplificar tudo que entendi sobre hoje. Nos cenários locais, essas greves são organizadas por grupos sindicais que pedem permissão para a prefeitura para realizá-la. “Então eles mandam uma carta pra quem eles vão atacar pedindo pra fazê-lo?” Sim, assim a prefeitura garante policiamento, ruas fechadas e segurança pra que todos saiam inteiros (no papel, é claro).

Esses grupos sindicalistas, como a CNT, principalmente, a CGT, a UGT, entre outros, são como a CUT (Central Única dos Trabalhadores) aí do Brasil. É como uma federação de sindicatos. Faz sentido? Pois então, essa greve não é uma reivindicação prática, como as greves que temos no Brasil. Por exemplo, a última greve que você lembra era uma greve que reivincava aumento de salário, condições de trabalho ou coisas do gênero. Essa daqui é uma greve ideológica. “Queremos manifestas nossa insatisfação com a precariedade econômica, a insegurança social, os planos de austeridade de combate a crise, etc”. Aí a prefeitura diz ok, os milhares de grupos e bandos saem na rua organizadamente e fazem suas reivindicações (ambas maneiras de fazer greve, na minha humilde opinião são sempre certas, desde que honestas).

Na passeata, um grupo de sindicalistas, um grupo que protesta pela educação, outro dos transportes, outro da saúde, outro de um bairro qualquer, outro de anarquistas, outro emigrantes de outros estados, outro de estudantes universitários… Tudo bonitinho, dividido em blocos organizados puxados por umas faixas grandes e todo mundo seguindo e cantando músicas exageradamente inocentes (não ouvi nem um “vão se foder” nas musicas…). Atenção para este grupo de velhinhos, os Iaioflautas. Idosos sem família e com aposentadoria bem magra protestavam e foram chamados de “perroflautas” que é mendigo aqui (perro = cachorro / flauta = flauta / mendigo, sacou?) aí criaram o grupo Iaioflautas (iaio = avô em catalão) e virou um grupo organizado de protestos que não falta em nenhuma oportunidade de greve.

Velhinhos firmeza.

De dia estava tudo muito tranquilo. Cruzamos com o grupo dos Iaioflautas e depois um de estudantes que começamos a dar rolê junto. Ajudamos a fazer uns piquetes para uns desavisados de carro não passarem nas avedidas da manifestação, vimos um showzinho duma galera juntos com os avozinhos e os estudantes e saímos para comer.

Aí estamos sem deixar esse carro passar na avenida fechada para a greve. É dia de greve, ninguém pode passar. Se não, não tem greve. A tia do carro deu ré e voltou pra de onde quer que ela tenha vindo.

Pessoal simbolizou a pirâmide do capitalismo e depois todo mundo assoprou até cair. Bobo mas legal.

Achei foda os caras com o visual dos “Policiais indignados”.

Tinha bastante polícia fazendo escolta da galera mas tava tudo bem tranquilo.

Passamos em casa para comer um sanduíche, demos um tempo e voltamos para a bagunça parte 2, as 18hrs. Chegamos que vimos que não ia ser tão passeio no parque quanto foi de tarde. Nenhuma das estações do bicing (sistema de transporte público de bicicletas daqui) estava funcionando nas proximidades da Plaza Catalunya e tivemos que parar bem longe de onde iríamos encontrar nossos amigos.

Eu acho que essas fotos não deixam isso tão claro, mas confiem em mim: TINHA GENTE PRA CARALHO.

GENTE

PARA

CARALHO

ENTENDENDO A GREVE PARTE DOIS:

Como já disse os sindicatos garantem a existência legal da greve e outros milhares de grupos aparecem em suas centenas, milhares ou apenas dúzias de pessoas reivindicam sua reivindicação. Desde grupos enormes pedindo fim dos cortes de empregos no setor dos transportes a grupos de centenas pedindo assembléia do bairro.

Galera dum sindicato de artistas.

Pessoal da assembléia do bairro Poble Sec

Mas o mais interessate é o tipo do rolê que eu encontrei. Mano, greve geral na Europa. Todo mundo já viu fotos e mais fotos de eventos como esse. Sabemos bem como são as manifestações em São Paulo e como a Polícia Militar as adora. Eu saí de casa e disse pra Lud botar um calçado que fosse bom pra correr, porque eventualmente iríamos ter que fugir de gás lacrimogênio e spray de pimenta. Chegamos lá e vimos idosos, casais, gente passeando com cachorro e crianças. E não estava tranquilo, não era um passeio, todos estavam ali para dar seus próprios gritos. As mães sofriam pra andar no meio da multidão com os carrinhos de seus bebês, saca? Era um esforço válido para todos estar ali. Muito doido isso.

Menininho cor-de-rosa olhando aquela zona toda.

Uma das coisas mais fodas que eu vi nisso tudo foi a forma como o Anarquismo é visto por aqui. Incrível como não é uma coisa de muleques rebeldes. Vejam que me vejo enquadrado na categoria “moleques”, mas é aqui outra história. A CNT e a CGT, por exemplo, são organizações grandes e influentes. No seu bloco, recheado de bandeiras vermelhas e pretas e umas e outras pretas com o A branco, tinham adolescentes, jovens, adultos formados e tiozinhos e tiazinhas com mais de 60 anos. Isso dá uma credibilidade fodida. Muito doido como nem uma ideologia tão radical nem o espírito de protesto morre se você não deixar.

Sei que houveram carros da polícia queimados e vimos algumas lojas pixadas, com marcas de ovos e coisas quebradas, mas nada além disso. Achei até estranho o quão pacífico foi. Pensei que eu ia sair de casa com minha câmera e ter uma tarde de ação e emoção cobrindo uma manifestação eletrizante, que ia subir em postes pra tirar fotos da polícia sendo filha da puta e de gente sendo bastante agressiva no geral. Mas não, melhor que isso, tive uma tarde suave, tiramos fotos maneiras, ouvimos idéias maneiras, fizemos comparações com o Brasil e vimos como um nível cultural faz a diferença. Existe debate, existe conversa, existe resposta de todos os lados. Nem os de esquerda nem os de direita estão tapando os olhos e os ouvidos pra tudo.

Todos conseguem entrar no debate. Tiveram base pra isso.

E olha que aqui também tem novela pra caralho…

“Não devemos, Não pagamos”.

Advertisements

5 responses to “Vamos passear na 14N

  1. Po maneirissimo em essa interação social entre pessoas de varias faixas etarias diferentes como vc disse no texto isso da uma grande credibilidade e muito mais coerencia na hora dos atos

  2. Animal… também me surpreendi com o clima tranquilo pelas ruas. Mas a questão que não sai da minha cabeça é “e agora, o que vai acontecer?”. Fui pesquisar umas coisas hoje e descobri que o governo ‘respondeu’ a greve dizendo que vai manter suas ações de cortes e tudo mais… Ai fiquei pensando, será a coisa só anda quando qdo tem força envolvida? Se ainda for assim, continuo triste…

  3. Muito legal! É uma visão diferente das que temos das greves por aqui…
    Mas o que a Camila questiona é interessante… será que é só na base da porrada que as coisas mudam?

  4. Cara, não sei ainda… Mas tenho certeza que vamos estar aqui nessa terra pra ver o que vai fazer tudo mudar.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s